O Tejo e eu...








(Fotos tiradas por mim tendo o Rio Tejo como principal protagonista)


Liberdade

Ai que prazer 
Não cumprir um dever, 
Ter um livro para ler 
E não fazer! 
Ler é maçada, 
Estudar é nada. 
Sol doira 
Sem literatura 
O rio corre, bem ou mal, 
Sem edição original. 
E a brisa, essa, 
De tão naturalmente matinal, 
Como o tempo não tem pressa... 

Livros são papéis pintados com tinta. 
Estudar é uma coisa em que está indistinta 
A distinção entre nada e coisa nenhuma. 

Quanto é melhor, quanto há bruma, 
Esperar por D.Sebastião, 
Quer venha ou não! 

Grande é a poesia, a bondade e as danças... 
Mas o melhor do mundo são as crianças, 

Flores, música, o luar, e o sol, que peca 
Só quando, em vez de criar, seca. 

Mais que isto 
É Jesus Cristo, 
Que não sabia nada de finanças 
Nem consta que tivesse biblioteca... 

Fernando Pessoa, in "Cancioneiro" 




Há que aproveitar as coisas belas da vida enquanto por cá andamos...

Comentários

  1. Bom dia!
    Que maravilha de imagens. Quanta beleza. A Poesia é linda e enquadra-se!! Amei. Obrigada

    Beijinhos e um dia feliz.

    ResponderEliminar
  2. Bom dia. Fotos cheias de belezas que quase dispensam palavras. Adorei o poema.
    Parabéns pela postagem

    Hoje: "" O coração não mente, mas sente""

    Bjos
    Feliz Quarta-Feira

    ResponderEliminar
  3. Fotos, excelentes, feitas a partir da minha margem.
    Ao fundo, Lisboa Tejo e tudo.
    Um abraço, Ricardo.

    ResponderEliminar
  4. O Tejo que agora se encontra em perigo por causa da seca :(
    Aquele abraço

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Dixit...

Mensagens populares deste blogue

Crónica de uma morte anunciada...