Os ratos que dominam o mundo...

Excertos da entrevista de Baltasar Garzón ao DN...

«(...)Foi impedido de exercer o cargo de juiz até 2021 por causa de escutas consideradas ilegais no caso Gürtel...

Fui suspenso pela investigação dos crimes franquistas e posteriormente juntou-se o caso Gürtel, pelo qual fui condenado. Um crime que, do ponto de vista da nossa defesa, não existia. Criou-se na sentença. Mas isso já passou. Serviu para me lembrar que a luta contra a corrupção tem um custo, que às vezes é muito grande. No meu caso foi a impossibilidade de exercer como juiz durante 11 anos. O estudo do direito era a minha vida, mas esta vida continua. E pode-se continuar a lutar pela justiça, contra a corrupção, também desde fora.


(...)É complicado investigar o poder?

É muito difícil. Investigar o poder é como introduzir um pequeno pedaço de madeira no mecanismo de um relógio. O mecanismo, com a força do poder, tenta e acaba por partir esse pequeno pedaço de madeira. Mas, às vezes, esse pequeno pedaço faz rebentar todo o sistema, como vimos no caso Mani Pulite, em Itália, ou outros casos.»

Baltasar Garzón, in "DN"

Sintomático da rataria que, por estes dias, governa o mundo...

Comentários

  1. Hoje escrevo acerca de um desses ratos.
    Este é venezuelano.
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  2. Aquele abraço, bfds para si e as suas princesas, Ricardo

    ResponderEliminar
  3. Aquele abraço, bfds para si e as suas princesas

    ResponderEliminar
  4. Não li a entrevista - agora fiquei a pensar que a deveria ter lido...
    uma boa semana e um beijinho


    Gábi

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Dixit...