Quando o Inferno desceu à minha terra...

(Tudo começou na 2ª feira...)


(Progrediu nessa noite...)


(As elevadas temperaturas e o vento forte não ajudaram...)


(Na 3ª feira à tarde já estávamos assim...)


(Aconteceu o impensável, a descida do fogo à cidade...)


(A vista do meu gabinete era aterradora...)


(Chegado a casa o fogo "bailava" nas serras sobranceiras ao Funchal...)


(A visão do Inferno no jardim de minha casa era monstruosa...)



(Hoje é um novo dia, uma nova esperança, com dor, mas confiante.)


Comentários

  1. Muito longe do local (fisicamente) nem consigo imaginar a dor de alma dos madeirenses ao assistir a este inferno.
    Ainda bem que tudo está agora mais calmo.
    Aquele abraço, bfds para si e as suas princesas

    ResponderEliminar
  2. Aquele abraço, boa semana para si e as suas mais que tudo (linda homenagem aos soldados da paz!!)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Dixit...

Mensagens populares deste blogue

CARTA ABERTA AO JEROEN DIJLESBOING (ou lá como é...)

Deus cria a mãe