Quando o Inferno desceu à minha terra...

(Tudo começou na 2ª feira...)


(Progrediu nessa noite...)


(As elevadas temperaturas e o vento forte não ajudaram...)


(Na 3ª feira à tarde já estávamos assim...)


(Aconteceu o impensável, a descida do fogo à cidade...)


(A vista do meu gabinete era aterradora...)


(Chegado a casa o fogo "bailava" nas serras sobranceiras ao Funchal...)


(A visão do Inferno no jardim de minha casa era monstruosa...)



(Hoje é um novo dia, uma nova esperança, com dor, mas confiante.)


Comentários

  1. Muito longe do local (fisicamente) nem consigo imaginar a dor de alma dos madeirenses ao assistir a este inferno.
    Ainda bem que tudo está agora mais calmo.
    Aquele abraço, bfds para si e as suas princesas

    ResponderEliminar
  2. Aquele abraço, boa semana para si e as suas mais que tudo (linda homenagem aos soldados da paz!!)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Dixit...

Mensagens populares deste blogue

CARTA ABERTA AO JEROEN DIJLESBOING (ou lá como é...)

Crónica de uma morte anunciada...