Sem vergonha ou...Uma crónica de (bons) malandros!

A Resolução da Assembleia da República, hoje publicada no Diário da República, é, no mínimo, para gozar com a cara dos portugueses, principalmente, com aqueles que não tem voz e que muito dificilmente se conseguem ouvir fruto do seu desencanto com os políticos mas, também, pela inércia de quem sabe, à partida que a sua voz não será ouvida e, por fim (custa dizer), por comodismo.

Pois, meus amigos, um País que aconselha os seus cidadãos a emigrar, que é (des)governado por pessoas de competência duvidosa - a mais suave das minhas caracterizações - incapaz de dar esperança naqueles que, ainda, nele vivem, é um País que não nos merece.

Pode Passos Coelho se sentir injustiçado pelos comentadores "preguiçosos e orgulhosos", mas esquece os Camilos e os Ferreiras entre outros que lhe dão uma "boa comunicação social" .

Pode dizer que «Chega a ser patético verificar a dificuldade de gente que se diz independente tem de assumir que errou, que foi preguiçosa, que não leu, que não estudou, não comparou, que não se interessou, a não ser em causar uma boa impressão de dizer ‘Maria vai com as outras’, o que toda gente diz porque fica bem.»

Pode defender, à exaustão, os seus maus ministros (da Justiça, da Educação, da Defesa, da Segurança Social e Trabalho, o inenarrável Vice - Primeiro Ministro) mas já ninguém o leva a sério, nem acredita naquilo que diz e das suas "melhores intenções" para o fazer como fez, já não engana a classe média que traiu com o seu brutal aumento de impostos, não engana aqueles a quem retirou parte substancial do seu rendimento, não engana aqueles que estando desempregados não constam da folha estatística, não engana aqueles que tem fome e não tem como mata-la, não engana quem quer receber cuidados de saúde e vê a sua consulta adiada inúmeras vezes por....falta de médicos.

Enfim, Passos e Portas estão na porta de saída,irão acabar as viagens oficiais ao México, ao Japão, à Lua, os almoços e jantares de "negócios" tudo no superior interesse do País, lá vão as 22 secretárias do Gabinete do 1º Ministro e a direita portuguesa, com mágoa minha, nem cheirará o poder nos próximos 15 anos, duvido até que alguém de Direita chegue a Belém após a assombrosa prestação de Cavaco Silva.

Deixo-vos com a "esplêndida" Resolução da AR, hoje plasmada no Diário da República:

Resolução da Assembleia da República n.º 87/2014
(Aprofundar a protecção das crianças, das famílias e promover a natalidade)



A Assembleia da República resolve, nos termos do n.º 5 do artigo 166.º da Constituição, recomendar que as comissões parlamentares permanentes, no prazo de 90 dias, apresentem relatórios que integrem orientações estratégicas, bem como uma definição de medidas setoriais concretas, promovendo, se possível, um quadro de compromisso que envolva as forças políticas representadas no Parlamento, com vista à adoção de políticas públicas para a promoção da natalidade, a proteção das crianças e o apoio às famílias.


Aprovada em 16 de Outubro de 2014.
A Presidente da Assembleia da República,
Maria da Assunção A. Esteves. 




Um bom dia de Verão, sim se isto é o Outono vou ali e já volto, para todos.

Comentários

  1. 'Tranquilamente' ridículo, Ricardo.
    É o que temos.
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Há momentos em que nos devemos sentir ofendidos, Ricardo.
    Promoção da natalidade, apoio à família e protecção das crianças?
    O que este Executivo tem feito é exactamente o oposto :(
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  3. Não poderia estar mais de acordo e tudo é uma autêntica nojeira e revoltante!

    Beijocas

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Dixit...