Dilemas...

Baixar ou não baixar os impostos não é uma questão ou um dilema Shakespeariano, mais não é que um arrufo entre os pombinhos da coligação que (des)governa Portugal no presente momento.


A dez dias, repito, a dez dias da entrega da Proposta de Lei de OE para 2015, poucos são os Ministros que sabem o que ali se trata, arrisco mesmo a dizer que só Passos e a Mariazinha dos Tostões sabem quais são as linhas de força do documento.


Entretanto, a Santíssima Trindade reúne-se, em São Bento, para discutir a baixa em 1% da aberração fiscal (outrora extraordinária e temporária) que é a CES, interrogo-me eu com que efeitos práticos na Economia Real do País.


A capacidade exportadora do País está esgotada, razão pela qual deverá o Governo pensar em fomentar a procura e o consumo interno para revitalizar a economia, será assim tão difícil entender?


A percepção que tenho é que depois de ter governado o país lendo um livro de finanças orçamentais, escrito em alemão, o sr. Passos Coelho é incapaz de decifrar um manual de economia política.

Pergunta:

Alguém, ainda, acredita em Nuno Crato, Paula Teixeira da Cruz e restantes amiguitos do Governo?

Comentários

  1. Eu não. Gosto de acreditar em pessoas lúcidas e acima de qualquer suspeita.
    Forte abraço.

    ResponderEliminar
  2. Por enquanto, como comentavam os seus amigos, parece que só o PR.
    No próximo ano se verá melhor.
    Até mesmo se o próprio PSD ainda acredita em PPC.
    Aquele abraço!

    ResponderEliminar
  3. Fui sempre acreditando até à exaustão...mas no momento presente não acredito em nenhum (embora ainda tenha umas faíscas de credibilidade quanto ao Macedo Saúde) e deixa-me que te diga que o mesmo se aplica a quase todos os deputados.

    Os rebuçados eleitoralistas que falas acresce mais um: a baixa do IRS de 3,5% para 2,5% ou seja já vamos em 2%:) Pelo menos foi o que eu percebi! Será assim? Outra coisa...o aumento do ordenado mínimo que já entrou em vigor irá apenas até Dezembro de 2015. Pois...

    Beijocas

    ResponderEliminar
  4. Ricardo, explica-me uma coisa, porque já não sei às quantas ando:

    - Tiram-me 3,5% de Sobretaxa Extraordinária que todos pagam
    - a CES é a Contribuição Extraordinária de Solidariedade que não me tiram

    afinal qual delas é que baixa? Na notícia estava escrito o que disse no comentário anterior - baixa do IRS de 3,5% para 2,5%

    Tudo isto tira-me do sério, sinceramente é tudo tão pouco transparente

    Desculpa

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Dixit...