Ópera bufa...

Quem me conhece sabe que sou um apaixonado por Ópera, particularmente, as que foram compostas por Puccini e, de entre todas, a "Madame Butterfly" é a minha eleita (aliás, tenho várias gravações deste Callas a Anna Netrebko).

O que atrás foi dito como introdução serve para dizer que o que passa com o "Novo Banco" faz-me lembrar, por momentos, a ópera de Puccini, nomeadamente, quando Pinkerton regressa, casado com uma americana, e Borboleta, percebendo que ele só volta para levar o filho que ela teve, suicida-se.


Ora, o que é que isto tem a ver com o "Novo Banco"? Tudo, digo eu!!!

Carlos Costa é Pinkerton e Vítor Bento era Butterfly, Costa queria algo que Bento julgava, tal como Butterfly se julgava casada com Pinkerton, ser diferente, isto é, um novo rumo para o Banco torná-lo viável e vendável, mas Costa (Pinkerton) apareceu-lhe com a "americana" Stock da Cunha e, ao invés do que aconteceu na Ópera, Bento decidiu não se matar e "voar" para outras paragens, simples.

Agora, aguardamos pelos próximos capítulos desta novela que, ou muito me engano, nos vai custar muitos mil milhões de euros, muitos mais que os cinco mil milhões anunciados.

E tenham V.Exªs um bom dia de (quase) Outono.

Comentários

  1. Como comentava ontem no Facebook, vamos ver se não acabam ambos em tragédia, Ricardo.
    E com sérias consequências para terceiros, acrescento agora.
    Aquele abraço

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Dixit...

Mensagens populares deste blogue

CARTA ABERTA AO JEROEN DIJLESBOING (ou lá como é...)

Deus cria a mãe