Crescem depressa...

(San Sebastian)

As crianças são, efectivamente, todas diferentes, tenho o exemplo vivo disso mesmo em minha casa - três raparigas diferentes - e, imagino, não devo ser exclusivo.

São três fases diferentes do crescimento infantil que exigem de nós pais uma atenção máxima, ele são os estudos, a música, as actividades desportivas, os seus dramas pessoais, enfim, algo que é tão mais exigente quando os pais tem profissões absorventes, como é o nosso caso, e que importa não negligenciar.

Sinto as minhas filhas a crescerem muito depressa, tão depressa que quando olho para as fotografias antigas (com dois anos) interrogo-me...o como passou tão rápido!!!

Amigos, perdoem-me o desabafo, mas sinto que tenho (temos) estado absorvido(s) no trabalho, e só quando viajamos em família sentimos o conforto de estarmos, realmente, juntos!

Votos de boa semana a todos!

Comentários

  1. Não há dois seres humanos iguais, Ricardo.

    Quando se trata de filhos, sentimos isso na pele.

    Aquele abraço e boa semana.

    ResponderEliminar
  2. Subscrevo as palavras do Observador...e acrescento que crescem tão rápido. Ainda há dias as minhas filhas eram pequenotas, fui pai e mãe, trabalhei que me fartei e agora já me vejo envolvida com quatro netos. Sou muito pouco saudosista e ontem ao limpar as molduras...meu Deus a neta mais velha já faz 11 anos.

    É dificil amigo essa absorção no trabalho mas fico tão fliz por ver como os casais de hoje repartem as tarefas domésticas.

    Força e beijos para todos vós e boa semana

    ResponderEliminar
  3. Ricardo,
    Qual é o pai que não acha que os filhos (no nosso caso, filhas) crescem demasiado depressa.
    Imagine o que é a minha filha Catarina, à beira dos 16 anos!!
    Só depois de ser pai passei a entender a canção do António Mourão - Ò tempo volta p'ra trás .
    Aquele abraço!!

    ResponderEliminar
  4. Aquele abraço e votos de bfds para si e família, Ricardo!!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Dixit...