A Múmia e os Faraós(zinhos)...


Era uma vez, uma múmia que do alto (ou baixo, isso agora não interessa) da sua sabedoria de "vão de escada" decidiu praticar "tortura chinesa" sobre todos aqueles que habitavam o seu País.

Tal tortura começou por dois Faraós(zinhos) que tinham por hábito brincar com a vida dos seus súbditos, mas para que o gozo fosse, ainda, maior chamou (a múmia) ao "barulho" o pretendente a Faraó(zinho) que com "carinha de Calimero" disse que não aceitava o "convite".

Entretanto, o putativo Vice-Faraózinho provou do próprio veneno e ficou "acorrentado" à sua vice-cadeira de Poder, dizem que reuniu de emergência para comunicar que, afinal, não haveriam "tachos" para o amigo Embaixador e para o amigo Empresário/Gestor. Por outro lado, aqueles que sempre apoiaram a "Múmia" ficaram corados de raiva e com vontade de esquartejar o, outrora, apoiado.

Moral da História:

1 - Nunca faças (Vice-Faraó(zinho)) aos outros o que não queres que te façam a ti!

2 - A "Múmia", embora adormecida, não está morta e com as suas "soluções" só agrava o problema.

3 - Nunca, mas, nunca mais confiar nas aparências, pois o que nem tudo o que aparenta ser, efectivamente, é.

Esta história, embora baseada em factos verídicos, é mera ficção, mas é muito parecida com a realidade!!!

Comentários

  1. Ricardo, o "Vice-Faraó(zinho)" também anda a 'façarar'?

    A "Múmia" não está petrificada e continua a 'meter a pata na poça'?

    Não é verdade que as 'iludências aparudem'?

    Um abraço

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Dixit...